Rio Grande do Sul se coloca à disposição para receber pacientes de Manaus

Eduardo Leite conversou com governador Wilson Lima para oferecer apoio no tratamento contra Covid-19

 

O governador Eduardo Leite afirmou que a rede de saúde pública do Rio Grande do Sul está à disposição para receber pacientes de Manaus, no Amazonas, por conta do esgotamento da rede hospitalar do município. A confirmação se deu após o governo gaúcho ter sido sondado sobre a possibilidade.

Até o momento, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), o Ministério da Saúde não encaminhou nenhum pedido oficial ao governo do Estado solicitando a utilização de hospitais gaúchos para essa finalidade. Ainda assim, segundo o diretor de Regulação Estadual, Eduardo Elsade, o Rio Grande do Sul “tem condições de auxiliar neste momento de colapso da saúde no Amazonas”.

A disponibilidade da rede hospitalar do Estado foi enfatizada pelo governador Eduardo Leite em suas redes sociais: “Coloquei o RS à disposição para o que puder ser feito no sentido de ajudar os nossos irmãos do Amazonas. Estamos numa outra ponta do país, mas a solidariedade que o momento exige supera qualquer distância. Se for necessário, o RS está a postos”, postou o governador.

Esgotamento da rede hospitalar no Amazonas e a criação do Plano de Cooperação

Os governos do Amazonas e Federal lançaram, ontem, um Plano de Cooperação, com o apoio de outros cinco estados brasileiros, para o transporte aéreo e tratamento, num primeiro momento, de 235 pacientes acometidos pela Covid-19 em Manaus, cujos quadros clínicos são considerados moderados.

A medida, anunciada pelo governador do Amazonas, Wilson Lima, em pronunciamento à frente do Comitê de Resposta Rápida nas redes oficiais do Governo do Estado, foi tomada com base na escassez de oxigênio para suprir a demanda gerada com o aumento de hospitalizações decorrentes da pandemia na rede pública estadual de saúde.

Cem pacientes serão transferidos para hospitais da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), no Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Goiás e Distrito Federal, além de mais 100 para a rede estadual de saúde de Goiás.

RS tem 77% de leitos de UTI ocupados

Após rede em colapso e sem oxigênio, pacientes com Covid-19 no Amazonas serão transferidos - O Liberal

No Rio Grande do Sul, a taxa de ocupação de leitos de UTI apresentou, nesta quinta-feira, 77,2% de lotação, com 2.039 pacientes em 2.640 leitos disponíveis. Conforme dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES), o índice de ocupação de leitos teve crescimento pelo segundo dia consecutivo. Do total, 977 (47,9%) pacientes eram relacionados à Covid-19.

Nessa quarta-feira, o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) obrigou duas empresas produtoras de gás medicinal a manter o fornecimento de uma quantidade mínima do produto a um grupo de hospitais particulares de Manaus. O aumento do número de casos da doença e a necessária corrida para abrir novos leitos hospitalares fez com que a demanda por oxigênio medicinal aumentasse exponencialmente.

Facebook Comments Box

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *