Múltiplos Tornados no leste gaúcho em Mostardas

Múltiplos tornados foram registrados na região da Lagoa dos Patos nas últimas horas. Os tornados sobre a água (trombas d’água) foram observados em municípios como Tavares e Mostardas. Os fenômenos não causaram danos ou vítimas. 

Em uma situação bastante rara de se observar e mais comum de se ver nos Estados Unidos e em ondas de trombas d’água no Mar Mediterrâneo, chegaram a ser observados dois tornados simultâneos, um ao lado do outro, no interior do município de Mostardas. As imagens foram enviadas para a MetSul pelo autor Everton Luís Sparremberger.

Na mesma localidade, foram vistas múltiplas nuvens funis ao mesmo tempo, mas não é possível dizer que foram as responsáveis por gerar os tornados duplos observado. 

EXCEPCIONAL

Ter tantas formações em um um dia e até duplas foge ao normal do que costuma se observar. “É possível que já tenha ocorrido antes, mas desde que a nossa equipe da MetSul começou a trabalhar com previsão do tempo na década de 80 jamais tínhamos visto tantas incidências no mesmo dia”, comentou a meteorologista Estael Sias. 

Desde a semana passada, o Rio Grande do Sul vem registrando uma frequência muito alta de tornados, nuvens funis e trombas d’água. Não são fenômenos incomuns no verão, entretanto a frequência com que vem se observado nos últimos dias é rara de se ver. 

Na última semana, tornados e trombas foram avistados no interior de Camaquã e na Lagoa dos Patos em São José do Norte. 

Isso está diretamente associado ao padrão atmosférico que vem se observando na região com ar tropical quente, úmido e instável com áreas de baixa pressão. É o que explica nuvens funis e trombas d’água terem se formado também em outros estados do Sul do Brasil e São Paulo, no Uruguai, Paraguai e Argentina. 

Um vórtice ciclônico em níveis médios da atmosfera atua desde a semana passada no Centro da Argentina, uma área de menor pressão atmosférica (cavado) alongada se estende do litoral paulista até a costa de Buenos Aires.

Não bastasse, a 600 quilômetros da costa gaúcha se originou hoje uma depressão subtropical que vai migrar para o Sul e se intensificar, atingindo o status de tempestade  subtropical e receber o nome de Potira.

ENTENDA AS DIFERENÇAS

Tromba d’água e tornado são o mesmo fenômeno quando associados a nuvens de tempestade. A tromba recebe este nome porque o tornado se forma sobre corpo d’água como o oceano, um rio ou uma lagoa. É meramente questão de nomenclatura. Em Português usa-se tromba d’água enquanto em Inglês a denominação waterspout. Se uma tromba avança da água para terra, quando sobre terra será um tornado.

Já as nuvens funis não são tornados. Se a circulação da coluna tocar solo será designado como tornado e não mais como nuvem funil.

 

 

Facebook Comments Box

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *