Equipe da TV Integração é agredida durante reportagem sobre eleições e o estado da saúde em Prata

Repórter e cinegrafista estavam na cidade para mostrar situação da saúde e ouvir candidatos. Prefeito diz que vai instaurar procedimento administrativo; emissora, Abert e Abraji emitiram nota.

Repórter da Globo, Danilo Cesar sofre agressão durante reportagem em Pernambuco

A equipe da TV Integração foi agredida, na manhã desta quinta-feira (29), em frente ao Pronto Atendimento de Saúde Municipal (PAM) de Prata, enquanto fazia uma reportagem para a cobertura eleitoral.

Durante o fato, o cinegrafista Stanley Matias deixou a câmera ligada e a agressão foi registrada (vídeo acima). O prefeito Anuar Arantes Amuy (MDB) se posicionou e disse que todos os envolvidos foram identificados. Veja abaixo notas da emissora e de associações.

Enquanto o repórter Arcênio Corrêa entrevistava funcionários do PAM, em uma reportagem feira após denúncia de moradores sobre as condições físicas do prédio, um homem que se identificou como médico de nome Jackeny Melo foi tirar satisfação com a equipe. O jornalista conversava com o agressor, que avançou e tentou tomar o microfone e o celular.

Outro homem não identificado, que estava ao redor, agarrou o repórter por trás e o enforcou. O cinegrafista Stanley Matias tentou separar os dois. Em seguida, o autor não identificado sai da confusão, joga um celular no chão e foge.

A equipe acionou a Polícia Militar para registrar um Boletim de Ocorrência e fazer exame de corpo delito. O repórter Arcênio Corrêa foi atendido queixando-se de dor nas costas, lesões nos braços e dores ao engolir. Ele teve escoriações leves, segundo boletim médico.

O prefeito disse para a produção da TV Integração que lamenta o ocorrido e repudiou as agressões à equipe. Um procedimento administrativo será instaurado para apurar o ocorrido e todos os agressores foram identificados como funcionários da unidade de saúde.

Manifestações

 

TV Integração

TV Integração lamentou o ocorrido por meio de sua direção de Jornalismo. “Exatamente quando ampliamos nossa cobertura para divulgar as propostas dos candidatos a prefeito de mais cidades de nossa área de cobertura ocorre algo lamentável assim”, disse o diretor de Jornalismo da emissora, Paulo Eduardo Vieira.

Dentro da cobertura eleitoral de 2020, diversos municípios mereceram atenção com reportagens falando de uma questão local e quais as propostas dos candidatos daquela cidade. Reportagens desse quadro já haviam sido feitas em Araguari, Sacramento, Patos de Minas e Nova Serrana. A agressão ocorreu enquanto era produzida a reportagem que embasaria as entrevistas dos candidatos locais.

Abert

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), por meio de nota, informou que repudia, com veemência as agressões. “Atos como este são um atentado à liberdade de imprensa e ao direito do cidadão de ser informado sobre fatos de interesse público”, informou na nota. A associação pede ainda uma “apuração rigorosa” e punição aos responsáveis pela agressão que ela classificou como inaceitável.

Leia a nota na íntegra

Nota de repúdio

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) repudia, com veemência, as agressões sofridas pela equipe de reportagem da TV Integração, em Prata, no Triângulo Mineiro, nesta quinta-feira (29). Enquanto o repórter Arcênio Corrêa entrevistava funcionários de um posto de saúde da cidade, um homem que se identificou como médico tentou tomar o celular do jornalista e a câmera do cinegrafista Stanley Matias. Em seguida, um outro homem agarrou Corrêa pelo pescoço e tentou enforcá-lo. O repórter precisou ser ajudado por outras pessoas para se livrar das agressões.A ABERT condena todo e qualquer tipo de violência contra qualquer cidadão, em especial, contra profissionais da comunicação que estejam no exercício da atividade jornalística. Atos como este são um atentado à liberdade de imprensa e ao direito do cidadão de ser informado sobre fatos de interesse público. A ABERT pede às autoridades locais a apuração rigorosa do caso e a punição dos responsáveis.

Abra ji

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo classificou como inaceitável o ataque a profissionais da imprensa durante o exercício da função. A associação exigiu punição aos agressores. “Os jornalistas precisam de segurança para trabalhar, pressuposto fundamental em regimes democráticos”, informou.

Leia na íntegra

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo considera inaceitável que profissionais de imprensa sejam atacados no exercício de suas funções. É a segunda vez este ano que profissionais da TV Integração são vítimas de atos violentos. A Abraji se solidariza com o repórter Arcênio Corrêa e seus colegas da emissora. E exige que as autoridades punam os agressores. Os jornalistas precisam de segurança para trabalhar, pressuposto fundamental em regimes democráticos.

A Abraji lembra que os casos de hoje se somam a outros episódios de violência física e verbal contra jornalistas desde o início da pandemia do novo coronavírus. Recente levantamento da Abraji registrou 275 alertas de ataques contra profissionais de imprensa e veículos, incluindo assédio virtual e outras hostilidades.

Jornal Hoje desta quinta feira 29/10 com Maju Coutinho deu ênfase a agressão contra o jornalista, dando o nome dos agressores dentre eles um médico, e as manifestações da ABERT e  ABRAJI   com notas de repúdio em relação ao ocorrido.

Abraji

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo classificou como inaceitável o ataque a profissionais da imprensa durante o exercício da função. A associação exigiu punição aos agressores. “Os jornalistas precisam de segurança para trabalhar, pressuposto fundamental em regimes democráticos”, informou.

 

Facebook Comments Box

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *