Como pedido de aniversário, menina de 11 anos entrega comida aos pobres

Estância Velha – Crianças de 11 anos, de um modo geral, tem preferências e gostos peculiares que remetam a brinquedos, desenhos e atividades lúdicas. O que pode ser considerado quase como um padrão, foi quebrado por Ana Ferreira Valêncio.

Moradora do Rincão Gaúcho, a estudante da escola municipal Cândido Rondon foi procurada há alguns dias pela mãe, Tatiana, que lhe perguntou o que queria ganhar em seu aniversário, que seria celebrado no último sábado, 5.

Em razão do coronavírus, uma festa com os amigos estava fora de cogitação. Pedido por algum mimo era esperado pela mãe. Ana, no entanto, surpreendeu e não escolheu nada para si. A criança queria ser presenteada beneficiando o próximo. De forma inusitada, ela pediu à família que se organizasse um pequeno mutirão para distribuir sopa aos moradores de rua.

Tia Diane ajudou a ação com o preparo do sopão

“Nó na garganta”

A tia Diane Ferreira comenta a reação de todos ao pedido: “Nos deu um nó na garganta. Ainda reforçamos se ela realmente queria aquilo, pois poderíamos lhe dar algum presente. Ela prosseguiu com o desejo”.

Levando em consideração a dificuldade de dizer “não” a uma criança, atrelado ao cunho social e espírito solidário, a família então se organizou para levar a empreitada adiante. Ao longo da semana, cada membro da família doou algo para o sopão: verduras, legumes, carnes… os itens iam chegando, e a tia Diane, guardando.

No sábado, o grande dia, ela mesma fez questão de cozinhar o prato. “Tenho uma panela grande. Fizemos no fogão a lenha. Ficou uma sopa forte e bonita, e em grande quantidade”, garantiu Diane. De fato, o número de alimentos foi substancial, totalizando 60 marmitas. Acrescido de uma doação de 70 cacetinhos, metade do caminho da doação estava percorrido.

Missão cumprida

A outra, foi concluída durante a noite. A bordo de três carros, com praticamente a família em peso, os benfeitores (capitaneados pela aniversariante) percorrem as principais vias de Novo Hamburgo em busca de pessoas em situação de vulnerabilidade social, vivendo às margens da sorte em plena rua.

Se estima que cerca de 40 marmitas chegaram até o seu destino. O restante foi doado para o Projeto Luz na Madrugada, no bairro da Boa Saúde. Missão cumprida e presente dado. De rescaldo, ficou a singela mensagem que a simplicidade e pureza das crianças têm muito a ensinar – e contribuir – para uma sociedade mais unida.

Facebook Comments Box

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *