Caso Mari Ferrer: Julgamento termina com sentença inédita de ‘estupro culposo’

Juiz decidiu que Aranha não teve ‘intenção de estuprar’ e o absolveu. Em paralelo, o vídeo da audiência vazou e mostrou advogado humilhando vítima

O caso Mariana Ferrer, jovem de 23 anos vítima de estupro em 2018, teve um novo desfecho nesta terça-feira, 3. O julgamento terminou com uma sentença inédita no Brasil, ‘estupro culposo’, para André de Camargo Aranha, 43 anos, que revoltou internautas.

Caso Mari Ferrer: Web se revolta com sentença de 'estupro sem intenção' | Brasil | Pleno.News

 

De acordo com o promotor Thiago Carriço de Oliveira, último responsável pelo caso, não havia como o empresário saber que a jovem não estava em condição de consentir o ato sexual e, por isso, não existiu a ‘intenção de estuprar’. O juiz Rudson Marcos, da 3ª Vara Criminal de Florianópolis, concordou com a tese de Oliveira e absolveu Aranha.

Não existe estupro culposo: entenda a controversa sentença atribuída ao caso Mari Ferrer - Vogue | atualidades

A sentença não está prevista na legislação brasileira, portanto Aranha foi absolvido.

Além do resultado do julgamento, o vazamento do vídeo da audiência chocou internautas. A agência de notícias The Intercept Brasil obteve acesso às imagens e as divulgou em seu portal. No vídeo, o advogado de defesa de Aranha, Cláudio Gastão da Rosa Filho, humilha Mariana e tenta justificar o crime mostrando fotos antigas da vítima para afirmar que a relação foi consensual.

Em um dos ataques ele diz que a jovem estaria em ‘poses ginecológicas’. Ao mostrar uma das imagens ele diz que naquela foto em questão Mariana estava “Muito bonita, por sinal”. Mariana rebateu o comentário: “O senhor tem idade para ser meu pai, tinha que se ater aos fatos”.

Caso Mariana Ferrer: sentença inédita de estupro culposo, 'sem intenção de estuprar' levanta debate | Hypeness – Inovação e criatividade para todos.

O advogado então revida: “Eu não teria uma filha do seu nível. E também peço a Deus que meu filho não encontre uma mulher que nem você”. Em seguida, ele continuou: “Tu trabalhava no café, tu perdeu o emprego, está com o aluguel atrasado 7 meses, era uma desconhecida. Vive disso. Esse é seu ganha pão, né, Mariana? Manipular essa história de virgem”, atacou.

Clubes repudiam sentença e pedem justiça no caso de Mariana Ferrer - ISTOÉ Independente

Em seguida ele diz que ela tem ‘choro dissimulado’ e ‘lágrimas de crocodilo’. Aos prantos, Mariana responde ao promotor: “Eu gostaria de respeito, doutor, excelentíssimo. Eu tô implorando por respeito, no mínimo. Nem os acusados, nem os assassinos são tratados da forma que eu estou sendo tratada, pelo amor de Deus, gente. Que que isso?”.

Caso Mari Ferrer provoca indignação nas redes sociais; influencer recebe apoio - Comportamento - iG

Relembre o caso

Mariana denunciou nas redes sociais, em 2019, a violência sexual que sofreu durante um evento no Café de La Musique, em Florianópolis, no ano anterior. Ela trabalhava como embaixadora da casa, divulgando o estabelecimento nas redes sociais. Segundo a jovem, o crime aconteceu no dia 15 de dezembro de 2018, na festa de abertura do Verão Music Sunset do beach club, localizado na praia de Jurerê Internacional. Os ingressos para as festas no local variam entre R$ 100 e R$ 1,5 mil, dependendo da festa. O passaporte de acesso aos camarotes pode custar muito mais.

De acordo com Mariana, que era virgem na época do crime, ela foi dopada e estava inconsciente no momento da violência. Segundo relato da mãe da jovem, o body e a calcinha que ela usava naquela noite ficaram ensanguentados e com forte odor de esperma. No dia seguinte, foi registrado um boletim de ocorrência de estupro. Exames periciais confirmaram que o esperma encontrado na roupa da jovem era compatível com o DNA do empresário paulistano André de Camargo Aranha.

                    O ESTUPRADOR 

                       ANDRÉ DE CAMARGO ARANHA

 

Criminalistas repudiam termo “estupro culposo” usado no caso Mariana Ferrer

Abaixo as fotos de quem julgou o caso Mariana e chegaram a decisão estarrecedora de “ESTUPRO CULPOSO” ou seja entende se por culposo: Quando não se tem intenção de cometer.

CNJ vai analisar conduta de juiz e promotor do caso Mari Ferrer | A Gazeta

Juíz Rudson Marcos  – 3º Vara criminal de Florianópolis  (Foto acima)

Promotor que criou tese de "estupro culposo" é investigado no CNMP

 

Advogado do acusado- Cláudio Gastão da Rosa Filho (Foto acima)

𝐦𝐚𝐧𝐮 on Twitter: "uma foto mais nítida do promotor thiago carriço de oliveira para tornar o rosto dele mais famoso… "

  Promotor : Thiago Carriço de Oliveira (foto acima)

 

 

 

 

Facebook Comments Box

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *