Brigada Militar apreende drogas na sede do Sindicato dos Vigilantes, e após matéria emite nota de esclarecimento.

Três pessoas foram encaminhadas à Delegacia – duas delas são detentos usando tornozeleiras eletrônicas e um é menor de idade, foram autuados em flagrante. Foram apreendidas ainda armas, munições e dinheiro.
Na manhã desta sexta-feira, 2/10, por volta das 09h30, a Brigada Militar realizava patrulhamento de rotina pela Avenida Presidente, nas proximidades da Rua Treze de Maio, quando se deparou com um rapaz em atitude suspeita.
Ele estava na carona de uma motocicleta e se mostrou preocupado ao perceber a presença da viatura.
Os policiais decidiram realizar uma abordagem. O condutor da moto atendeu a ordem de parada e disse que trabalha como mototaxista e estava em uma corrida, sendo o carona seu passageiro.
Já ao revistar o passageiro, os policiais encontraram em sua mochila aproximadamente 700g de maconha e crack, um revólver calibre 38 com a numeração raspada e municiado com seis munições intactas, além de uma balança de precisão.
O rapaz foi interrogado pelos policiais e acabou apontando onde conseguiu as drogas. Ele contou que pegou a mochila na Rua Professor Luiz Antônio Lopes, bairro Santana, endereço do presidente do Sindicato dos Vigilantes de Uruguaiana (Sindivur), Luiz Carlos Corrêa da Silva, onde também está localizada – no andar térreo – a sede do Sindicato.
Os policiais foram até o endereço e se depararam com os dois homens, que são detentos cumprindo pena em vigilância por tornozeleiras eletrônicas.
No local foi encontrada outra mochila contendo 903g de maconha, dois cartuchos de calibre 12, um celular marca Samsung e R$ 366 em espécie.
Com apoio da unidade de cães do 1º Batalhão de Policiamento de Área de Fronteira (BPAF), os policiais conseguiram localizar outros dois tijolos de maconha e um carregador de pistola calibre 22 sem munição.
Os três homens, os dois detidos no local e o rapaz detido na Avenida Presidente Vargas – foram conduzidos à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), onde foram autuados em flagrante delito por tráfico de drogas.
Um deles, o rapaz na motocicleta, é menor de idade e foi apreendido

Fonte: Brigada Militar

Uruguaiana: Sindicato dos Vigilantes publica Nota de Esclarecimento

O Sindicato dos Vigilantes de Uruguaiana -SINDIVUR através de sua diretoria e seu presidente Luis Carlos Correa Da Silva, vem esclarecer a população de Uruguaiana que, tanto o Sindicato como seus Diretores e associados não tem qualquer participação culpa ou dolo referente a ação havida na sede da entidade nesta Sexta-Feira, dia 02.10.2020.

-Informamos, que a entidade,visando auxiliar a dois apenados que estavam realizando serviços de pintura em sua sede (através de uma carta de trabalho e com autorização judicial) onde, lamentavelmente, os referidos apenados acabaram utilizando tal oportunidade de trabalho para tráfico de Drogas, obviamente, sem qualquer conhecimento da Entidade, seus Diretores e Presidente.
O SINDIVUR, Diretores e associados parabenizam a ação da valorosa Brigada Militar que acabou por desvendar o cometimento de crime pelos referidos apenados.
Ainda, esclarecemos que em nenhum momento houve qualquer manifestação contrária por parte dos Diretores, Presidente e associados sendo que no momento da ocorrência feita pela BM só estavam os dois apenados pintando a sede da entidade, e a qual ocorreu sem qualquer interferência do Presidente e Diretores do SINDIVUR.
O SINDIVUR, Diretores e Associados lamentam que as pessoas maldosas e mal informadas da verdade estão, ilegalmente, imputando ao Sindicato, Presidente e Diretores o cometimento do referido ilícito em sua Sede, o que é totalmente descabido e sem nenhum amparo fático ou legal.
Nosso Sindicato tem mais de 30 anos de luta séria e sem qualquer mancha na condução dos interesses de nossa categoria, gozando de respeito e consideração por toda a sociedade Uruguaianense.

Por final, informamos que o SINDIVUR e seus Diretores já estão tomando as medidas legais e cabíves para que as pessoas que estão produzindo FAKE NEWS e notícias falsas, inclusive, em redes socias, sobre o fato acima informado sejam devidamente processadas e respondam por injúria, calúnia e difamação.

SINDIVUR-LUÍS CARLOS CORRÊA DA SILVA – PRESIDENTE.
Facebook Comments Box

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *